O patrimônio natural

Patrimônio Natural

A preservação tem sua importância discutida mundialmente. É tema recorrente em várias esferas da nossa sociedade.

O tombamento de áreas naturais vem ao encontro com essa nova visão preservacionista.

O patrimônio natural compreende áreas de importância preservacionista e histórica, beleza cênica, enfim, áreas que transmitem à população a importância do ambiente natural para que nos lembremos quem somos, o que fazemos, de onde viemos e, por consequência, como seremos.

Quem não tem na lembrança histórias que envolvam a paisagem? Todas estas lembranças fazem parte da nossa história. Perdê-las é, além de dano ambiental irreversível, uma agressão à memória e, acima de tudo, a perda da qualidade de vida.

Parque Serra da Boa Esperança

A Serra da Boa Esperança, “No coração do Brasil um punhado de terra” imortalizada pela samba-canção de Lamartine Babo foi decretado Parque Estadual  no dia 16 de maio de 2007, Decreto 44.520

Localização: município de Boa Esperança, entre as coordenadas de 21°S e 46°W, com área de 5.873,9960 hectares na Serra da Boa Esperança.

A conservação dos abundantes recursos hídricos da região é um dos principais motivos da criação do Parque. A área abriga várias nascentes e cursos d’água de tributários do Rio Grande e do Lago de Furnas e que são responsáveis pelo abastecimento de comunidades de propriedades localizadas no sopé da Serra.
Os estudos técnicos elaborados pelo Instituto Estadual de Florestas (IEF) apontam a existência de fragmentos vegetais importantes, apesar da intensa atividade humana. A área apresenta, ainda, em locais de difícil acesso, vegetação representativa de Mata Atlântica, cerrado e campos de altitude em bom estado de conservação.

Parque do Sucupira

O Parque Sucupira foi criado em uma área desapropriada pelo Poder Público Municipal quando anos atrás havia um projeto de loteamento nesse local que desmataria o bosque, privando as novas gerações desse lindo património natural. Hoje, a entrada é franca e serve para conscientização ambiental dos alunos das escolas de Boa Esperança.

Parque da Fonte

O Parque da Fonte é uma área bastante diminuída de fauna e flora devido à implementação do loteamento denominado Dr. Paulo Rosa. Infelizmente, para implantação desse empreendimento imobiliários, foram sacrificadas 250 árvores nativas, a maioria Sucupira, restringindo perigosamente as áreas de sobrevivência das aves. Restou apenas um corredor de árvores na área de proteção permanente da fonte de água do Parque Sucupira. Micos e aves disputam o espaço que sendo tão restrito, ameaça sua sobrevivência.

A fauna ornitológica

A fauna ornitológica brasileira é uma das mais ricas do mundo, com uma enorme variedade de espécies. Nela encontram-se numerosas aves de rapina, trepadoras, palmípedes e pernaltas, os galináceos e os columbídeos.

Com seu habitat drasticamente reduzido a população de aves na região é ameaçada.

Aves tem suas opções de pouso perigosamente diminuido depois da removação de tantas arvores essenciais à sobrevivência da fauna.

Os caracaras e os tucanos se disputam nos ramos de pouso das poucas árvores restantes no corredor da área de proteção permanente do parque; brigam e ficam num ambiente de stress para a sobrevivência.


Na foto, um tucano de bico verde é arreliado do seu poleiro por os caracaras.